CADASTRE-SE NA NEWSLETTER:
GOSTOU? COMPARTILHE:
Área restrita para clientes:
SBCOC 2016

 

11º Congresso Brasileiro de Cirurgia de Ombro e Cotovelo recebe mais de 800 participantes

Congresso reuniu mais de 800 participantes entre fisioterapeutas, acadêmicos, especialistas e convidados internacionais

A Sociedade Brasileira de Cirurgia de Ombro e Cotovelo (SBCOC) realizou seu 11º congresso brasileiro de 31 de março a 2 de abril no Costão do Santinho, em Florianópolis, SC. Durante os três dias do evento, acadêmicos, residentes e especialistas tiveram acesso as mais recentes descobertas relacionadas às fraturas, luxações, lesões de tendões como o manguito rotador, rigidez de cotovelo, entre outros temas.

Segundo Alberto Miyazaki, presidente da SBCOC, foi promovido um grande encontro com a participação de renomados especialistas que apresentaram novas técnicas e tendências no tratamento do ombro e cotovelo. Ele acrescenta ainda que “um encontro como esses é de extrema importância para uma atualização médica de qualidade, já que através do conhecimento é possível garantir um melhor atendimento aos pacientes.”

Outro destaque foi a participação dos palestrantes internacionais: Hiroyasu Ikegami do Japão, Lionel Neyton da França e Giuseppe Porcellini da Itália. “Em suas palestras eles nos mostraram que, apesar das técnicas serem parecidas e as doenças as mesmas, existem perspectivas diferentes. Tivemos a oportunidade de comparar vários métodos de tratamento, filosofias e extraímos o que é de melhor proveito para a nossa população”, finaliza o presidente da SBCOC.

________________________________________________________________________  

 

COTESP 2016

26º COTESP reúne mais de 400 participantes

Aconteceu, de 23 a 25 de junho, a 26ª edição do Congresso de Ortopedia e Traumatologia do Estado de São Paulo (COTESP), na cidade de Ribeirão Preto. Com mais de 400 participantes, o evento reuniu especialistas, convidados internacionais e residentes. Durante os três dias do evento foram abordadas todas as especialidades da Ortopedia, além de realizado um curso voltado exclusivamente para os residentes.

Na área do Ombro e Cotovelo, o evento teve um modulo específico para discussões e apresentações de casos clínicos. Neste módulo, foram abordados temas como Instabilidade do ombro em esportista, Lesões parciais do manguito rotador, Fraturas complexas do ombro, Transferências musculares nas lesões irreparáveis do MR, Artrose do ombro em pacientes jovens, Capsulite adesiva do ombro e Prótese reversa do ombro.

Outro destaque do evento foi a organização de um módulo voltado para Ortopedia Esportiva com a participação de Ana Carolina Ramos e Côrte, da Seleção Brasileira de Ginástica Artística, e Breno Schor, do Comitê Olímpico do Brasil. A participação da ex-atleta Laís Souza, também foi um momento marcante na programação. Ela participou do evento a convite do especialista Antonio Carlos Marttos Júnior, seu médico e amigo e um dos convidados internacionais.

Convidados Internacionais

Neste ano, o COTESP trouxe três celebridades na Ortopedia e Traumatologia que abrilhantaram o evento com importantes discussões científicas: Michel Pierre Jacques Bonnin deu palestras sobre a “Artrodese do tornozelo X artroplastia total: fazendo a escolha certa”, Planejamento pré-operatório na ATQ”, “Deformidades múltiplas na ATJ: quais são as estratégias.  Roger Badet, falou sobre “LCP lesão isolada e combinada: abordagem terapêutica”, “Menu a carte moderna nas instabilidades femoropatelares”, “PSI: uma nova forma de navegação nas artroplastias”. Antonio Carlos Marttos Júnior participou do módulo Olimpíadas 2016 com a aula “Atendimento de emergências em eventos esportivos

Curso para os residentes: sucesso absoluto

Realizado pelo segundo COTESP consecutivo, o curso para residentes apresentou novidades e trouxe aulas teóricas, práticas e de habilidades. A novidade do ano foi a organização dos workshops hands on, com a realização de placas e parafusos em vários tipos de fratura. Nos workshops, os residentes puderam simular operações de haste no fêmur e tíbia, prótese de joelho e quadril. “Nosso objetivo era o de deixar que eles manipulassem o material e operassem essas fraturas. Foram cinco mesas, cada uma com uma situação diferente”, explica Marcelo Tadeu Cairo, presidente da SBOT-SP.

Ainda segundo o presidente, o curso para os residentes está cada vez mais se solidificando no COTESP e deverá ser ampliado. “Pretendemos crescer e ampliar as atividades para os residentes, acrescentando workshops de fixador externo e habilidades de partes moles, situações realizadas no Exame para obtenção de Título de Especialista, o TEOT”, diz.

Os residentes têm sido, cada vez mais, foco do COTESP. Neste ano, um quarto das inscrições foram de residentes oriundos de diversas partes do Brasil. “Pretendemos aprimorar nossas atividades para que o COTESP seja também um importante momento de aprendizado e treinamento para eles”, finaliza Caiero.

A ideia é ampliar um pouco mais isso, colocar fixador externo, habilidade de partes moles, que também é parecido com a prova do titulo.  

 

onde todos deveriam desenhar no raio-X, traçar ângulos e linhas, uma atividade que é pedida no Exame para obtenção do Título de Especialista (TEOT).

A novidade deste ano, segundo o presidente da SBOT-SP, foi a realização de workshops hands on, com a realização de placas e arafusos em vários tipos de fratura. “Os residentes puderam simular operações de 

Curso começou em 2014. Foi introduzida uma parte prática de realizacao de placas e parafusos em vários tipos de fatura. Duas salas simultâneas ocorrendo tendo a demonstração de haste fêmur e tíbia, prótese de joelho e quadril e na outra sala eles estavam tendo workshop hands on em placas.

A ideia é que eles fizessem, manipulassem o material, operassem as fraturas. Entao tinhamos ossos plásticos com uma fratura desenhada e aí eles usavam o material para tratar determinado tipo de fratura. Foram cinco mesas cada mesa com uma situação especifica com um material diferente e aí eles revezando a cada 15 minutos de forma que todos viram tudo.

As fraturas: transtodontérica, diafese do úmero, diafese do rádio, fratura distal do radio e do tornozelo.

Cada uma tinha um jogo de material especifico para elas. Cada mesa tinha um membro da diretoria regional coordenando e orientando os residentes.

Aulas e habilidades, desenhar no raio X, desenhar linhas, traçar ângulos uma coisa que é pedida no TEOT.

Esse workshop também se assemelha a prova de habilidades. É a primeira vez que o cotesp tem isso. A ideia é ampliar um pouco mais isso, colocar fixador externo, habilidade de partes moles, que também é parecido com a prova do titulo. 

Atendendo: tornozelo, braço, punho, fêmur e antebraço.

Mais de 400 participantes

Se considerarmos a situação atual do país, dificuldade de patrocionio, é um numero bom.

Ele tem que buscar nichos. Ele não se iguala ao brasileiro, mas precisamos procurar focos

Um é o residente, outro o ortopedista do interior. Porque ele viria para o COTESP? Vamos fazer um questionário para os nossos sócios, perguntando o que ele quer em um congresso regional.

 

Qual é o desenho do congresso para chamar essas pessoas? 

 

Confira a seguir as fotos do evento.


  

 

 

 

 
MEU CARRINHO
Você possui: 0 itens
Total no carrinho: R$ 0,00
EVENTOS EM DESTAQUES
 Curso Interinstitucional de Cirurgia do Ombro e Cotovelo 30 e 31/03/2017 
 
 
ENQUETE
O que você achou do site em termos de aparência?
Muito bonito
Bonito
Bacana
Feio
CLIQUE AQUI PARA VOTAR
VER RESULTADO DA ENQUETE
ÁREA PARA CLIENTES
Digite seu nome de usuário:
Digite sua senha:
ENTRAR NO SISTEMA
NEWSLETTER
Nome:
E-mail:
CADASTRAR-SE
FAÇA UMA BUSCA
Digite o que deseja procurar:
 
 
 
 
 
Palavras-chave
 
 
 
 
 
Parceiros
 
 
 
DOT Pavilhão Fernandinho Simonsen
Rua Dr. Cesário Mota Junior, 112 Vila Buarque
São Paulo - SP
CEP: 01221-020 - Brasil
Conecte-se
Contato
E-mail: [email protected]
Telefone: +55 11 3222-6866
 
 
ARQUIVO CRÉDITOS NÃO ESTÁ ABRINDO, ESTÁ COM ERRO OU NÃO POSSUI A ASSINATURA.